Bancários do HSBC promoverão protesto internacional

São Paulo – Os problemas comuns que enfrentam os trabalhadores em diversos países foram aprofundados durante os debates do Comitê Sindical Internacional do HSBC. Entre as resoluções aprovadas por dirigentes sindicais do Brasil, Uruguai, Chile, Paraguai entre outros países está a realização conjunto de Dia Internacional de Luta, durante o mês de agosto, reivindicando da direção do banco inglês melhores condições de trabalho e estabilidade no emprego.

O Comitê se reuniu durante a 8ª Reunião Conjunta das Redes Sindicais dos Bancos Internacionais, promovida pela UNI Américas Finanças, de  23 a 26 de julho, no Uruguai.

“Vamos exigir também que o banco se posicione oficialmente sobre as notícias negativas que envolveram a instituição financeira nas últimas semanas, inclusive de denúncias de lavagem de dinheiro. Os trabalhadores de várias partes do mundo exigem explicações da direção da empresa”, afirma a dirigente sindical Liliane Fiuza que participou das discussões.

Ela relatou ainda que nos debates ficou claro ser necessário mudança de postura da empresa que tem desrespeitado o direito dos trabalhadores, inclusive com discriminação a dirigentes sindicais. “Toda essa situação será denunciada no Dia Internacional de Luta. Por isso é importante que os funcionários brasileiros participem da mobilização que será organizada pelo Sindicato”, acrescenta a dirigente sindical, destacando a necessidade de a instituição financeira assinar Acordo Marco Global para garantir direitos iguais aos trabalhadores em todos os países que o banco atua.

Redes sindicais – A 8ª Reunião Conjunta das Redes Sindicais dos Bancos Internacionais da UNI Finanças reúne representantes sindicais do HSBC, Santander, BBVA, Itaú e Banco do Brasil.